Blog BIO ACS é vida.

GRUPO A CATEGORIA EM 1º LUGAR

Companheiros Participe do nosso Blog e Sejam Bem Vindos !

ACESSOS ONLINE

VISITAS ONLINE

Total de Acessos em Nosso Blog BIO ACS é Vida.

COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO

PISO

PISO
REAJUSTE JÁ

ASSOCIAÇÃO


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

OS AGENTES DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE-MG, RECEBEM ABAIXO DO SALÁRIO MÍNIMO



Belo Horizonte-MG, tem uma terça-feira 23/02, marcada por mobilizações de trabalhadores da área da saúde, o que pode afetar o atendimento ao longo do dia. Em uma UPA de BH, há previsão de espera para atendimento chega a 12 horas. Médicos, agentes comunitários de saúde (ACSs) e agentes de combate a endemias (ACEs) começaram uma paralisação de 24 horas nesta manhã. Passeatas e outros atos públicos serão realizados ao longo do dia. 

A partir das 10h, os agentes vão realizar uma manifestação em frente à Secretaria Municipal de Planejamento, no cruzamento da Avenida Augusto de Lima com a Rua Goiás. Na hora seguinte, eles pretendem sair em passeata até a sede da Justiça do Trabalho, na região do Barro Preto, onde será realizada uma audiência sobre a ação do Sindicato dos Servidores Públicos de Minas Gerais (Sindibel) contra a PBH. Conforme a instituição, o Executivo municipal não paga o piso da categoria. “Os agentes de saúde recebem R$ 780,00 abaixo do salário mínimo, que é R$ 880,00 e ainda muito abaixo do piso, que desde julho de 2014 é de R$ 1.014,00 e a prefeitura não cumpre em Belo Horizonte-MG”, diz o presidente do Sindibel, Israel Arimar. 

O segundo motivo do protesto, segundo a Arimar, é a atuação dos agentes comunitários de saúde no combate ao Aedes aegypti, função dos agentes de combate à endemias. “Nesse mutirão da dengue, a secretaria colocou os ACSs para agir com os agentes de combate a endemias. Só que as diretrizes nacionais dizem que seria um trabalho complementar. O ACS continuaria fazendo seu trabalho e orientando as famílias. Se visse um foco do mosquito, ia chamar o ACE”, explica Arimar. “Só que em Belo Horizonte as gerências estão colocando eles praticamente para fazer o trabalho dos ACEs e eles não têm EPI pra isso, não têm equipamento. E deixam de fazer o trabalho deles, como o cadastro do Bolsa Família. Se uma família fica sem cadastro, ela perde o benefício”, afirma.


FONTE: EM.COM.BR

Nenhum comentário: